Filosofia de whisky

-Garçom, me vê uma dose de whisky. 4 dedos e 2 pedras de gelo. Sim só isso, obrigado.

[10 minutos após]

-Garçom, mais outra dose dessas.

[10 minutos após]

-Garçom, outra dose.

Garçom me olhou, e perguntou:
– Amigo, você não esta exagerando?

Retruquei:

-Bote mais uma dose, que explicarei…

O Garçom botou mais uma dose e comecei a explicar:

-Pense em algo duradouro. Algo que deixe feliz por muito tempo. Algo que você teria todo dia numa certa quantidade específica. Maravilhoso isso não é?
Mas com esse algo você coloca outra coisa junto. Que em certa dose, transforma o maravilhoso em prazer, sentimento inexplicável, o melhor possível. Porém se essa coisa  dura muito tempo, torna-se enjoativa e todo o prazer antes sentido será perdido. É exatamente o whisky. O whisky sozinho é muito bom. Porém com as pedras de gelo são perfeitos, não ficam tão ardentes e não perdem seu gosto. Porém se você demora a beber, o gelo derrete e deixa o whisky aguado com um gosto horroroso que por fim tem que disperdiçar uma bebida tão cara e prazerosa, pelo simples motivo de deixa-la aguada. Use essa analogia para muitos prazeres na vida meu caro. Seja um amor, amizade, dor, tristeza. Você precisa saber o quanto apreciá-los para não ficar algo cansativo para os dois lados. Pois você não terá certeza o quanto terá, nem mesmo quanto tempo durará, então tens que saber equilibrar pra sempre ter o melhor. E o equilíbrio é muito difícil se alcançar. Bem, poderiamos passar a noite falando dessas coisas, uma coisa puxa a outra, mas não temos certeza de nada.

O Garçom perguntou:

– Mas como assim, tantos pensamentos sem nenhuma certeza? Do que adianta?

Respondi:
– Amigo, precisamos  pensar em algo para podermos levar a vida. Acreditar em algo. Mas você não tem certeza nem do que você realmente quer. Nem se fala então de certezas que envolvam os outros. A única certeza que temos é …[tomando a última gota do whisky no copo] … que o fim chegará para todos.

O Garçom teria que fechar o bar e o homem estava indo embora. Quando o garçom estava saindo do bar já fechado, na rua do lado havia um homem estirado. Ora era aquele homem do whisky que fora atropelado. Pouco antes de seu fim ele disse ao Garçom:

– Dexei meu whisky ficar aguado e joguei tudo fora. Não faça o mesmo. Busque suas certezas antes que verdadeira certeza lhe busque…

Anúncios

~ por marcelosofo em 22/09/2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: