[Re]:Começo

•07/02/2012 • Deixe um comentário

A resposta para muitas coisas é o começo. Comece a fazer para saber, descobrir. Recomece, caso feito errado, ou de forma indesejável. E para o que vier, terás que mudar. Aqui relatarei minhas possíveis mudanças sendo ocorridas ou que ocorrerão, novos começos e alguns recomeços no momento em que vivo.

Já que, daqui poucos dias começarei um novo ciclo de vida, por que não mudar? O foco será o mesmo, mas das minhas decisões antigas não esperarei elas valerem a pena e sim, farei elas valerem a pena. Serei mais radical em arriscar, já que sou radical em sair, por que não em arriscar? Conceitos básicos mudaram-se para mim, por exemplo, o conceito de justiça. Linda em papel e na imaginação das pessoas. Mas não há justiça alguma. Se todos nós conseguimos ser injustos com nós próprios em hipóteses e acontecimentos de certa forma simples e tentamos nos enganar, como seremos justos com os outros? Como pode se dizer que há justiça, se cada um faz a sua? Pois então, farei a minha própria justiça, fecharei os olhos para os demais, não os ignorando, mas tendo em visão que posso ser injustiçado da mesma forma por eles e ganhar tempo para ser justo comigo mesmo e com quem amo, depois de ser justo com os tais, poderei dar exemplos de justiça para os outros. Sim, eu citei amo. Sempre achei amar e odiar palavras fortes. E realmente são, elas trazem um impacto maior à pessoa e à situação. Mas nesse novo ser, haverá mais sentimentalismo. Pois pessoas que eu amo já me falaram para ser mais sentimental mas, de certa forma, deixei para lá. Mas com a explosão de sentimentos uma certa voz sutil me mostrou e me fez ser mais sentimental. Inexplicável, porém o importante é que me fez e faz bem. Mas com toda essas mudanças não deixarei de ser ainda o ser racional que sempre fui. Pois,  foi desta forma que cativei os quais estão ao meu lado, os mesmos que eu zelo por estar ao meu lado. Ainda sei o que é a amizade, sei dos meus medos e sei os reais perigos que posso me meter ou causar. Apesar de mesmo assim, sem saber nada. As minhas promessas, devo cumpri-las, como sempre. Mas promessas não cumpridas não significa incopetencia ou irresponsabilidade e sim, aprendizado com o que você deveria ter feito e não fez. No passado em diversas vezes disse que cairia de cabeça em certas situações, apostaria minhas fichas e muitas das vezes deram certas. Mas desta vez, é diferente, estarei apostando muito mais alto e em muito mais coisa e muito mais valiosos. É uma resposta para o recomeço: um novo começo.

“Nulla è reale tutto è lecito”

Percepção

•20/01/2012 • Deixe um comentário

Percebo que tudo mudou de uma forma não tão esperada.

Lembro-me de quando achava que eu estava preparado para qualquer coisa, hoje sei que não é bem assim.

Vejo que muita coisa poderia ser diferente e que muita coisa pode mudar, algumas fora do planejamento. Sendo coisas boas, que venham. As ruins, venham também, passageiramente, mas que deixem algo para ser aproveitado.

Faço meus planos e independentemente dos fatos, ainda tenho a percepção de que dará certo.
Ainda sou adepto ao pensamento de que se o caminho é árduo, não se pode desistir, pois o ápice é o mais incrível possível.

Acontece

•16/01/2012 • Deixe um comentário

Ir. Andar. Procurar.Assistir. Ver. Ouvir. Nascer. Viver…

Rir pra não chorar.

Perguntar. Voltar. Encontrar.

Por aí, acontece, o que não poderia acontecer.

Por aqui,  acontece, o que se deve acontecer.

Em todo espaço insignificante proporcional ao espaço que não conhecemos, existe perguntas e respostas, acontece que ignoramos.

Acontece que já não sabemos o que acontece. Acontece que já não sabemos mais amar. Sofrer, chorar, ninguém merece, mas isso acontece. Poderíamos todos tentar ser melhores, mas isso não acontece.

Acontece que cada pessoa cava seu próprio abismo.  Acontece que quando a saudade aperta, não se faz nada. Acontece que os conselhos dos amigos já são duvidosos, pois não se sabe quem realmente é seu amigo.

Mas acontece que o sol nascerá, e devemos levar a vida, a sorrir, mas também acontece que a saudade voltará, junto o sofrer, chorar e amar, mas depois da tempestade, o sol nascerá novamente.

Mas acontece, que tudo isso, se esquece…

 

ps: Texto totalmente inspirado em diversas músicas do Mestre Cartola.

Definir o sentir

•11/01/2012 • Deixe um comentário

Definir algo tão complexo é extremamente difícil.

Vou tentar definir de modos diferentes, por exemplo, sentir dor. Sente-se dor por bater a cabeça no armário. Sente-se dor quando alguém te machuca, mas por dentro…

Sentir é tão complexo que tem duas definições na mesma ação, que é o caso de sentir dor. E consegue se confundir mais coisas.

Sentir falta e sentir saudades. Sentir falta pode ser de algo ou de alguém mas, ao meu ponto de vista, mais específico. Sinto falta daquele quadro que se quebrou que deixava minha casa tão bela da mesma forma que sinto falta daquele modo que ela ficou brava quando o quadro se quebrou. E já vejo a saudade como algo mais amplo. Sinto saudades daquele tempo, daquela pessoa, daqueles amigos que eu tanto gostava.

Semelhante e confuso, mas como já citado, sentir é muito complexo. Outro exemplo semelhante de sentir coisas.

Atração, paixão e amor. Talvez os mais confusos de se sentir ou de se saber o que está sentindo. Creio que todos andem juntos. Mas creio também que um sempre se realça diante os outros. Atração, se sentir atraído por o que é belo. Paixão, se apaixonar pelo o todo, o completo, ardentemente. Amor, o mais complexo, pois ama-se de todas as formas possíveis e imagináveis. Mas seja qualquer seja o modo de amar, pela complexidade de sentir o amor, é o sentir mais sincero que existe.

Falei, falei e falei e não consegui definir o sentir. Pelo contrário, apenas dexei mais confuso. Assim, chego a conclusão que não tem como se definir algo que vem do coração pela cabeça.

Sentir o afastar

•09/01/2012 • Deixe um comentário

Conversando com uma grande amiga chegamos a refletir sobre o afastar e fiquei com isso na cabeça…

Nos afastamos de muitas pessoas e coisas, de vez em quando, sem querer. Há momentos que é inevitável o afastamento. Mas o afastamento físico de uma pessoa não significa que tudo está acabado. Pelo contrário, pode ser algo bom, para vermos se será a mesma coisa, mesmo afastados, se um dia aquela pessoa voltará e trará as mesmas alegrias ou até mais…

Então sinta-se afastado de uma pessoa não por ela estar longe fisicamente e sim por vc não sentir mais sua presença, a essência da pessoa que mudava o seu humor. Se isso ocorrer, de fato, estás sentindo um afastamento…

Sentir o afastamento… algo angustiante quando não se quer. Algo aliviador quando já se esperava. O modo angustiante de senti-lo é de uma tal forma que você fica pra baixo, não sabe o que fazer para impedir e sua maior arma talvez seja a fé de que tudo voltará ao normal. E o modo aliviador de senti-lo é de uma tal forma que se isso não ocorresse algo poderia te sufocar.

Todas as circunstancias não está no “afastar”, pois é algo de feito e entendimento simples. E sim pelo “sentir”, pois é algo totalmente complexo e variável. Poderia simplesmente me afastar para saber se as pessoas sentiriam o meu afastamento. Se me esperariam voltar, do mesmo modo que um dia voltei. Se me procurariam, da mesma forma que já procurei. Mas prefiro não criar expectativas e não me afastar, por enquanto, pois é uma fase de afastamentos gradativos e naturais onde dirão quem e o que realmente são e sentirão.

Não me afasto também, por querer saber coisas mais complexas, e sentir o “sentir”. Mas para tal, preciso primeiramente saber e decifrar o que estou sentindo… seja uma falta ou qualquer outro sentimento.

Esperar

•20/12/2011 • Deixe um comentário

Tão rápido que passou que eu poderia esperar mais um pouco para tentar me desapegar do silêncio que me calou tantas vezes.

Sei que esperei muito para falar certas coisas que já não adianta mais falar, pois sei que não mudará muito.

Sei que essa mesma espera trouxe felicidades cujas seriam diferentes caso eu não esperasse tanto.

Talvez eu tenha esperado muito em tempos errados. Mas se esses tempos foram bons, como foram, talvez valeu a pena esperar. Pouco importa o que poderia ter sido diferente.

Nos velhos tempos, sejam eles curtos ou longos, mostrei o que queria, disse o que espero, insisti nas coisas que me importavam. Talvez o mesmo silêncio que me calou tantas vezes não deixou meus atos e palavras tão claros. Quem sente que é, de fato é. Não espere por um “eu te amo” ou palavras adoráveis para ter certeza de que é. Pois tais palavras não significam nada, e  abrir mão do que realmente é por não ter ouvido tais palavras, é um erro imenso, e uma certeza de que nunca mais será o que foi.

Novos tempos estão para vir. Para as novas experiências, arriscarei sem medo. Para as antigas, talvez distantes de alguma forma ou obstáculo, deixo o meu “esperar”.

Espero que não decepcione. Espero que eu não me esqueça. Espero que não se esqueçam. Espero que lembrem-se dos aprendizados. Espero que corram atrás. Espero que um provavel recomeço seja tão bom quanto o que já havia começado há tempos. Espero que dessa vez o silêncio não me cale por tanto tempo…

Contraditório eu dizer que você não deve esperar por palavras e eu estar esperando por tantas coisas e atitudes.

Mas se esperássemos por coisas certas, esperariamos apenas pela morte.

Poder…ia

•10/12/2011 • Deixe um comentário

Poderia ser melhor. Como poderia ser pior. Como é, é o que importa.

Na hora que o coração aperta e a garganta não segura é quando sai as palavras mais sinceras e puras. O poder que ia mudar algo. O poder de tais palavras que emocionam.

Poderia ter dito, feito, melhorado. Melhorado o poder que ia mudar muitas coisas. Poderia…

Poderia ter encontrado a certa inspiração para evitar a lamentação. O poder que ia transformar o ‘lamentar’ em ‘comemorar’.

Poderia ter sido mais gentil. Mas o poder que ia aflingir seria algo destruidor. Como poderia ter sido reconstruidor.

Poderia – o poder que poderia mudar os poderes.

Já não se pode mais. O que passou, valeu a pena. Se  não tivesse tanto poderia, seria fácil lidar com o poder. O poder do poderia, pode mudar muita coisa. Se bem que eu não poderia saber de tais mudanças….